Home » Notícias » Represa se rompe e deixa centenas de desaparecidos no Laos

Notícias

24 de julho de 2018

Represa se rompe e deixa centenas de desaparecidos no Laos

A derrocada de uma barragem, ainda em construção, esta segunda-feira, no Laos, deixou centenas de pessoas desaparecidas.

A represa Xepian-Xe Nam Noy, situada a 550 km da capital Vientiane, se rompeu na noite desta segunda-feira (23), liberando 5 bilhões de metros cúbicos de água. Brigadistas e barcos foram enviados à área do distrito de San Sai, na província de Attapeu.
Os media oficiais noticiaram que a barragem hidroelétrica de Xepian-Xe Nam Noy, na província de Attapeu, desabou ontem, liberando mais de 5 bilhões de métros cúbicos de água, varrendo casas e deixando mais de 6600 pessoas desalojadas. "Muitas pessoas morreram" e "centenas estão desaparecidas", disse a Laos News Agency.

Dezenas de barragens estão atualmente em construção no Laos, que exporta a maior parte da sua energia hidroelétrica para os países vizinhos, incluindo a Tailândia.
Desde há vários anos que as organizações ambientais expressam as suas preocupações sobre as ambições de energia hidroelétrica do Laos, incluindo o impacto das barragens no Mekong, na sua flora e fauna, na população rural e nas economias locais que dela dependem.
A barragem da província de Attapeu, um projeto de mais de 855 milhões de euros, está em construção desde 2013, uma obra da responsabilidade da Xe Pian-Xe Namnoy Power Company (PNPC), uma "joint venture" formada pela empresa tailandesa Ratchaburi Electricity Generating Holding, a empresa coreana Korea Western Power e da empresa Laot Holding State Enterprise, do Laos.
Com uma capacidade de 410 megawatts, a barragem deveria começar a fornecer eletricidade a partir de 2019, segundo o site da PNPC, e 90% da energia produzida deverá ser exportada para a Tailândia, sendo o restante distribuído localmente.

Contudo,  Sistema Nacional de Informações sobre Segurança de Barragens - SNISB constitui-se como um cadastro consolidado de informações sobre barragens, cuja inserção dos dados está sob a responsabilidade de cada entidade ou órgão fiscalizador de segurança de barragens no Brasil.

Seu objetivo é registrar as condições de segurança de barragens em todo o território nacional, dispondo de coleta, tratamento, armazenamento e recuperação de informações de barragens em diferentes fases de vida (construção, operação ou desativadas), para diferentes usos e com diversas características técnicas. Trata-se de um instrumento da Política Nacional de Segurança de Barragens, estabelecida pela Lei nº 12.334/2010. As diretrizes para atuação do SNISB foram dispostas na Resolução CNRH nº 144/2012.

No primeiro momento o foco do SNISB são barragens com informações mínimas necessárias à gestão da segurança, como altura, volume e empreendedor identificado por meio de ato de autorização de cada entidade ou órgão fiscalizador de sua segurança.

Os empreendedores das barragens são os responsáveis legais pela segurança da barragem, e devem manter atualizadas as informações relativas às suas barragens junto à respectiva entidade fiscalizadora.

 Apenas as barragens que tenham, no mínimo, um dos requisitos abaixo necessitam constar no SNISB:

 - Altura maior ou igual a 15 m;
- Capacidade total do reservatório maior ou igual a 3 hm³;
- Reservatórios que contenham resíduos perigosos, conforme normas técnicas aplicáveis;

Fonte: www.snisb.gov.br
 https://www.jn.pt/mundo/interior/centenas-de-pessoas-desaparecidos-em-colapso-de-barragem-no-laos-9629285.html

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/07/24/represa-se-rompe-e-deixa-desaparecidos-no-laos.ghtml

 
 
Água e Solo Estudos e Projetos    -    contato@aguaesolo.com    -    WebMail
Desenvolvido por X-NEO Sites Inteligentes